Publicidade
Notícias

Risco: Um terço dos brasileiros se conecta com redes Wi-Fi abertas em locais públicos

Esta informação foi revelada por uma pesquisa recente da HideMyAss!. Entre os entrevistados que admitiram o uso, cerca de 40% confessaram preferência por redes Wi-Fi gratuitas que não exigem registro ou senha, tornando-as ainda menos seguras.

Os brasileiros e as redes wi-fi abertas

Os brasileiros dependem cada vez mais dos dispositivos móveis para verificar atividades profissionais ou manter o contato com familiares e amigos nas redes sociais sempre que estão fora de casa ou do escritório. É com estes dispositivos que também fazem compras online e realizam transações bancárias. Se para isso usam redes Wi-Fi abertas em estabelecimentos e locais públicos, estão a expor-se a grandes riscos de segurança na Internet.

No ano passado, por exemplo, a agência de vigilância digital do Reino Unido, GCHQ, alertou as pessoas sobre um grupo russo de cibercriminosos, “Fancy Bear”, que tinha como alvo as redes Wi-Fi de hotéis para instalar um malware nos dispositivos dos usuários. No início deste ano, uma nova investigação mostrou exatamente como os cibercriminosos estão criando falsas redes Wi-Fi, para capturar os dados das pessoas.

No Brasil, muitos preferem acessar a internet gratuita disponível onde quer que estejam ao invés de utilizarem o pacote de dados. Foi o que revelou uma pesquisa recente da HideMyAss!, empresa especializada em segurança na Internet. Embora a grande maioria (80,71%) dos entrevistados tenha conhecimento sobre os riscos com relação à segurança, cerca de um terço dos brasileiros (32,63%), ainda se conecta com Wi-Fi aberto em cafeterias ou locais públicos.

Entre os que admitiram o uso, cerca de 40% confessaram preferência por redes Wi-Fi gratuitas que não exigem registro ou senha para obter conexões, tornando-as ainda menos seguras. Com relação à proteção de dados, quatro em cada dez entrevistados (40,37%) afirmam confiar no seu software ou aplicativo de antivírus para mantê-los seguros no universo online, enquanto 30,18% disseram evitar a inserção de dados confidenciais como credenciais de login.

O estudo indicou que há brasileiros (7,20%) que esperam que o provedor da rede mantenha-os seguros, e outros (10,76%) que utilizam proxy ou VPN (Rede Privada Virtual). Ao serem questionados sobre o que é uma conexão VPN, três em cada dez (30,30%) revelaram não conhecê-la.

Seja em cafeterias, bares, restaurantes e em locais públicos, onde há acesso gratuito à rede Wi-Fi, é fundamental ter no dispositivo uma proteção extra para garantir privacidade e segurança na internet. Quando questionados sobre o acesso das informações de navegação, 33% dos brasileiros disseram que não gostariam que suas credenciais de login fossem acessadas por pessoas que não confiam. Além disso, 37% dos entrevistados revelaram que não gostariam que o mesmo acontecesse com suas informações bancárias. Neste caso, a adoção de uma VPN confiável pode ajudar a não expor a localização do usuário ou colocar os seus dados pessoais em risco.

Brad Poole, porta-voz da HideMyAss! compartilha algumas dicas importantes sobre como as pessoas podem estar seguras no mundo digital e proteger seus dados. Brad traz ainda alguns exemplos de como os cibercriminosos podem obter informações confidenciais dos usuários, mesmo que não sejam inseridas enquanto um Wi-Fi aberto é utilizado.

Dicas para aumentar a segurança no uso de uma rede Wi-Fi pública:

  1. Conexão segura – O mais importante é que a pessoa recorra sempre ao uso de uma conexão Wi-Fi segura. Os hotspots Wi-Fi públicos são como uma mina de ouro para os cibercriminosos, que poderão facilmente ver os sites visitados, o histórico de navegação, os e-mails e as credenciais de login. Ao usar uma rede Wi-Fi aberta, é recomendado a instalação de uma VPN no dispositivo para proteger a conexão ou minimizar os riscos com extensões de navegadores, como o HTTPS Everywhere.
  1. Desabilitando serviços – A dica é desativar os serviços de localização, a georreferenciação e, se possível, a busca de metadados em dispositivos e navegadores quando utilizados. Mesmo no simples ato de compartilhar inocentemente uma foto em um perfil da rede social, a pessoa pode inadvertidamente fornecer sua localização ou a de um membro da família.
  1. Software de segurança – Instale um software de segurança avançado para dispositivos móveis e tablets de uma empresa reconhecida. Versões gratuitas e muito boas estão disponíveis no mercado por companhias como Avast e AVG, que reduzem o risco de perda de dados pessoais e roubo de identidade.