Publicidade
DescomplicômetroDicas

Descomplicômetro – Bitcoin

Mas afinal o que é a Bitcoin e as criptomoedas? Está cansado de ler notícias sobre moedas virtuais e ainda não descobriu o que são e para o que servem? Vamos ajudá-lo a perceber tudo.

Bitcoin

Quando foi lançada em 2009, a Bitcoin foi a primeira moeda virtual do tipo criptomoeda descentralizada, ou seja, que dispensava o uso e controle tradicional do atual sistema bancário.

Esta solução permitia (e permite) a existência de transações financeiras sem intermediários, evitando assim controlos financeiros, governamentais e a aplicação das tradicionais taxas de câmbio e comissões bancárias. Atualmente, a Bitcoin pode ser usada em compras de serviços e produtos na Internet, existindo até lojas físicas, alojamentos e restaurantes que já aceitam o pagamento de serviços com Bitcoins.

Você poderá usar a página coinmap.org que identifica em todo o mundo estabelecimentos que aceitam esta moeda virtual.

A criação da moeda

A criação de Bitcoins, ou qualquer outra moeda virtual, é designada ‘mineração’, e não é mais do que a utilização de indivíduos, voluntários, que usam um ou vários computadores para decifrar complexas equações criptográficas, que correspondem às várias transações. Estas, quando concluídas, são inscritas numa espécie de livro de registro inviolável, designado ‘blockchain’, que vai considerar cada registro ou linha como um block.

Quando os blocks são adicionados à blockchain, estes passam a ser permanentes e invioláveis, garantindo desta forma a integridade da moeda, fundamental para a sua valorização.

Longe dos bancos

Face às transações de dinheiro real, as transações de moedas virtuais dispensam o uso de uma entidade central, visto que todas as transações já estão, só por si, autenticadas a partir do momento em que foram adicionadas ao blockchain.

Ao dispensar a utilização de uma entidade central no momento das transações, são dispensadas as comissões habitualmente cobradas pelas entidades, ao mesmo tempo que as mesmas podem ser processadas de forma totalmente anônima, uma situação que muitos especialistas consideram como sendo uma “faca de dois gumes”.

Instabilidade

Depois de terem valorizado de forma impressionante, ao atingir um valor máximo superior a dezenove mil dólares em Dezembro de 2017, esta (e outras moedas virtuais) tem vindo a cair de forma significativa, após o anúncio do bloqueio de todo o tipo de transações com esta moeda virtual por parte dos governos da Coreia do Sul e da China.

Estas medidas têm como objetivo, segundo o ministro das finanças sul-coreano, contrariar o entusiasmo irracional em torno destas moedas. Já a China assegura que este bloqueio permitirá evitar a aplicação de bitcoins em situações ilegais, como lavagem de dinheiro e fuga aos impostos.

Temos ainda personalidades do mundo financeiro como Warren Buffet a afirmar que as moedas virtuais «terão um fim mau», ou a organização internacional dos reguladores de mercados a alertarem para os riscos das criptomoedas, que são altamente especulativas e que colocam em risco a totalidade do capital investido.