Publicidade
DicasGuia completo

Use um roteador antigo para criar uma rede mesh

Neste guia, vamos mostrar como você pode aproveitar um roteador antigo para criar uma rede mesh, para ter acesso à sua rede Wi-Fi doméstica em todos os cantos da casa.

Use roteador para criar rede mesh

As redes domésticas mesh são apontadas como a solução perfeita para qualquer casa. Tecnicamente, uma rede mesh não é mais que ter diversos roteadores Wi-Fi espalhados pela casa, que funcionam de forma sincronizada como se tratassem de uma só rede.

Com deste tipo de solução, desde que os dispositivos da rede mesh estejam devidamente localizados, vai conseguir ter um bom sinal em todas as divisões da casa, bem como no exterior, como na garagem ou jardim. O grande problema de ter uma rede mesh é o seu custo elevado: conjuntos de três unidades como o Asus Mesh Lyra e o Google WiFi custam perto de 350 euros.

Juntar o novo com o antigo
É certo que o processo de sincronização entre dispositivos foi muito simplificado no caso dos kits Wi-Fi Mesh, podendo os mesmos serem gerenciados através de aplicativos móveis, que permitem ver quem está ligado, criar contas para visitas e bloquear o acesso à rede temporariamente.

Para criar uma solução parecida, vamos usar o seu roteador atual (muito provavelmente de última geração, instalado por seu operador de Internet), e um roteador antigo, usando um sistema de powerline básico para a ligação entre eles.

1 – Reúna os dispositivos
Para demonstrar as possibilidades de uma rede mesh, decidimos recorrer a um roteador adicional da Asus, e a um conjunto de adaptadores PowerLine da D-Link de 500 mbps para ampliar o alcance do Vodafone Smart Router (o que temos na redação).

Este roteador, habitualmente colocado numa posição central ou na sala, onde estão os dispositivos mais exigentes em termos de largura de banda como as Smart TV e consolas, acaba por fazer com que a rede Wi-Fi tenha um sinal fraco nas restantes divisões da casa, especialmente se tiver muitas paredes entre o router e o dispositivo com o qual deseja acessar a Internet.

Ao usar os adaptadores powerline para ligar o roteador antigo ao principal, você deverá estudar corretamente a localização deste último, para que fique numa posição central em relação às áreas com menor alcance da rede Wi-Fi atual. Após ligar este roteador, tanto à rede através do adaptador powerline, como à corrente elétrica, recomendamos que faça imediatamente um restauro para as definições de fábrica: prima o botão de reset durante um determinado tempo. Neste caso, o roteador Asus precisa que o façamos durante sete segundos (normalmente costuma ser entre cinco e dez segundos). Em seguida, anote o nome da sua rede Wi-Fi atual (SSID), pois irá precisar usar esse dado para a configuração do roteador adicional. Poderá encontrar o SSID na lista de redes sem fios de seu computador ou nas definições wireless de seu dispositivo móvel.

2 – Verifique as definições existentes
Num computador que esteja ligado ao seu roteador por Wi-Fi, clique no menu ‘Iniciar’ do Windows e escreva cmd, para abrir a linha de comandos. Aqui, você deverá escrever ipconfig e carregar em ‘Enter’. A janela que se abre vai mostrar as propriedades de sua rede Wi-Fi, como o IP, Subnet e Gateway, sendo este último o endereço, por defeito, do seu roteador principal – o nosso Smart Router da Vodafone usa 192.168.1.1. Agora, deve escrever esta informação no campo de endereço de um navegador para poder acessar a página de configuração do roteador principal, acedendo posteriormente às definições do Wi-Fi.

Embora estejamos usando um roteador da Vodafone, os menus dos roteadores de outros provedores utilizam as mesmas designações, embora tenham um visual distinto. Os dados de acesso ao painel de configuração do roteador estão habitualmente colocados no autocolante colado na traseira do roteador ou no manual de instruções do mesmo. Nesta tela deverá acessar as definições avançadas, indo em seguida para a configuração do servidor DHCP, onde encontrará os endereços de IP inicial e o final, disponibilizados pelo roteador (no nosso caso, entre 192.168.1.64 e 192.168.1.253), valores esses que deverá registrar para o passo seguinte, pois o roteador adicional terá que usar um endereço fixo entre esse intervalo de endereços IP.

3 – Configure o roteador adicional
Depois de verificadas as definições existentes em sua rede atual, está na altura de configurar o roteador adicional. A forma mais fácil será ligar um cabo de rede diretamente desse roteador ao seu PC, visto que as definições, mesmo sendo as de fábrica, poderão ser incompatíveis com as de sua rede atual.

Com a ligação direta de um cabo de rede do router ao PC está, assim, a evitar confundir as configurações de rede do seu computador. Abrindo novamente a linha de comandos, verifique qual o endereço de IP da Gateway desta nova ligação, que será o endereço de acesso ao painel de controle do roteador. Aqui, o roteador Asus está em 192.168.50.1 e, embora em muitos casos baste usar esse endereço para acessar o menu de configuração do mesmo, neste caso foi necessário acessar o endereço http://router.asus.com, utilizando os dados de acesso ‘admin’ como nome de utilizador e ‘admin’ como senha, isto porque efetuamos o restauro das definições de fábrica. Assim que entrar no menu de configuração, deverá acessar as definições das ligações LAN para desativar o serviço de DHCP, uma vez que este já está sendo feito pelo roteador principal.

4 – Configurar o roteador como ponto de acesso
Após a desativação do serviço de DHCP, você deverá iniciar a configuração para transformar o roteador adicional num ponto de acesso. Para isso, deverá perceber qual dos menus é o correto, tendo em conta o seu roteador, de forma a alterar o modo de funcionamento para AccessPoint.

No Asus, a opção estava no topo, em ‘Modo de Operação’: aqui, foi possível alterar o modo Wireless Router Mode para Access Point (AP) Mode. Após aprovar esta mudança, alguns roteadores iniciam, de forma automática, o modo AP, utilizando um endereço IP automático, atribuído pelo roteador principal. Contudo, recomendamos que atribua um endereço IP fixo para o roteador que está atuando como extensor de rede, para facilitar o acesso ao mesmo e, sempre que necessário, alterar configurações nos menus do mesmo.

Em alguns roteadores, como os Belkin, antes de ativar o modo AP, ele nos obriga a indicar o endereço IP fixo para o próprio roteador. Em outros casos, você deverá acessar o menu adequado que, neste caso em particular, se encontra nas propriedades das portas LAN, com o endereço 192.168.1.252, uma vez que este pertence ao intervalo de endereços IP atribuídos pelo roteador principal, conforme comprovamos anteriormente no final do segundo passo deste tutorial.

5 – Alterar o nome da rede
Numa verdadeira rede mesh, quando altera o acesso à rede Wi-Fi de um roteador para o outro, todo este processo acontece de forma automática, já que o sistema irá identificar onde se encontra o sinal mais forte. Esta solução recria outros casos do quotidiano, como o que acontece nos rádios de carro mais recentes, que conseguem atualizar as frequências à medida que vamos dirigindo, mantendo a estação que estávamos ouvido.

Já no caso da rede que acabamos de criar, não recomendamos a utilização do mesmo nome SSID para ambos os roteadores, pois o modo AP utilizado nem sempre consegue alternar de forma eficiente entre as redes Wi-Fi, tendo em conta a qualidade de sinal – é, assim, preferível atribuir um nome diferente, embora semelhante, para facilitar a identificação da sua rede quando precisar se ligar.

Com esta solução, seu computador, ou outro dispositivo móvel, conseguirá adaptar-se de forma mais eficiente à rede com melhor qualidade de sinal. Para isso, no menu de configuração de seu roteador extensor, deverá acessar as propriedades da ligação wireless e alterar o nome da rede por padrão para outro parecido com o da rede principal. No nosso caso, como usamos a designação SSID ‘Deathstar’ no roteador principal , decidimos atribuir no roteador extensor o SSID ‘Deathstar_2’. Após aceitar esta alteração, o roteador irá reiniciar e terá sua rede mesh low-cost pronta a ser utilizada.